O que é bem-estar financeiro e por que você deve se preocupar com o dos seus funcionários?

bem-estar financeiro dos funcionarios

Apesar de pouco debatido entre as empresas brasileiras e, sobretudo, entre os setores de Recursos Humanos, o bem-estar financeiro dos funcionários deveria entrar logo na pauta. Isso porque os problemas relacionados a dinheiro interferem em todas as áreas da vida de uma pessoa, desde o relacionamento com a família até, é claro, o trabalho.

Você sabia que quem tem estresse financeiro tem 4 vezes mais chances de desenvolver ansiedade? E que no Brasil 66,5% das famílias estão endividadas? Com esses índices, é muito provável que boa parte dos colaboradores de sua empresa sofra com esse tipo de estresse e isso esteja reduzindo sua capacidade de produzir.

Por isso, você vai entender agora o que é bem-estar financeiro, como inserir esse tema nos programas de RH e porque é tão importante cuidar da saúde financeira das pessoas em sua empresa.

Por que é tão importante reduzir o estresse financeiro?

Uma pesquisa do SPC Brasil mostrou que 80% das pessoas têm a saúde mental debilitada por causa do estresse financeiro. Além da ansiedade, os distúrbios de sono e o comportamento compulsivo (como comprar mais do que pode e precisa) são os principais problemas relatados pelos entrevistados.

No âmbito pessoal, as dificuldades com dinheiro acabam afetando a saúde física a longo prazo, já que a falta de sono e os hábitos saudáveis ficam comprometidos. E a relação com os filhos e com a família tende a piorar.

No trabalho, as consequências da falta de saúde financeira também são variadas. Veja a importância de se investir no bem-estar financeiro dos funcionários:

Melhoria na motivação

Questões financeiras e problemas de saúde mental são responsáveis por reduzir a motivação no trabalho. Por mais que deveria ser o oposto – já que quanto melhor o desempenho do colaborador, mais ele seria recompensado por isso – o estado crítico financeiro aumenta em 5 vezes as chances de a pessoa desenvolver uma depressão.

Com isso, a produtividade na empresa é reduzida e, por isso, é tão importante cuidar do bem-estar dos funcionários.

Melhoria do relacionamento interpessoal

Pessoas com dificuldades financeiras tendem a ficar mais irritadas e agressivas, sem disposição para socializar. Com isso, a rotina de trabalho fica pesada e os relacionamentos entre colegas se prejudicam.

Redução do absenteísmo

O absenteísmo é o índice de ausências no trabalho, que é causado principalmente pela falta de motivação. Se o funcionário não cumpre suas horas de serviço, a produção será afetada, reduzindo também o bom desempenho da empresa diante do mercado. Menos horas trabalhadas, em geral, resulta em menor lucratividade, satisfação dos clientes e competitividade.

Além disso, pessoas desmotivadas também tendem a abandonar o cargo, o que gera uma alta taxa de turnover, ou seja, grande rotatividade entre os postos de trabalho. Assim, a empresa precisa gastar mais com contratação e treinamentos.

Da mesma maneira, ao investir no bem-estar financeiro, atrasos por motivos médicos ou falta de motivação serão reduzidos, ampliando o tempo útil do funcionário dentro da empresa.

Como proporcionar bem-estar financeiro na empresa?

Mas, afinal, como a empresa pode cuidar para que o estresse em relação aos problemas financeiros seja reduzido?

Primeiramente, é preciso entender que não se trata apenas da questão salarial quando falamos na relação empregador-empregado. Muitas vezes a solução está além de proporcionar bons planos de carreira, comissões e bonificações. É claro que o primeiro passo é avaliar se a empresa paga de forma justa e condizente com o mercado, mas, a segunda etapa está na criação de um programa de bem-estar financeiro.

A maioria dos brasileiros tem pouco controle financeiro e seus problemas com inadimplência e endividamento se devem em grande parte à falta de conhecimento e organização. Em geral, o consumidor brasileiro:

  • Não faz um planejamento financeiro pessoal;
  • Gasta mais do que ganha, sem consciência. Apenas 15% dos brasileiros conseguem guardar dinheiro;
  • Tem gastos impulsivos;
  • Não considera os gastos invisíveis (como assinaturas de aplicativos e pedidos de delivery) no planejamento;
  • Não investe parte da renda e, quando o faz, opta por investimentos com baixa rentabilidade – como é o caso da poupança.

Por isso, é importante proporcionar ao funcionário orientações em relação à saúde financeira, como reduzir gastos, como investir, quais seriam boas alternativas de crédito e empréstimos para que ele possa renegociar suas dívidas, dentre outros.

Como fazer um plano de bem-estar financeiro?

1.       Comece com o diagnóstico

É preciso entender logo no início quais são as queixas e dificuldades reais dos funcionários para que se possa planejar as ações efetivamente. Equipes de RH e gestores devem se reunir com os colaboradores para compreender, por meio de uma pesquisa, as preocupações relacionadas à vida financeira.

Lembre-se que uma gestão humanizada entende as necessidades particulares das pessoas na empresa e pensa em soluções mais customizadas, mesmo que coletivas.

2.       Crie campanhas de educação financeira

A partir dos problemas identificados, é importante mobilizar os gestores e a comunicação interna para que sejam criadas campanhas de endomarketing com foco na educação financeira.

Também é interessante oferecer um serviço terceirizado de consultoria financeira pessoal para que o funcionário possa se debruçar sobre suas contas com a ajuda de um profissional especializado.

3.       Ofereça benefícios corporativos extras

Para empresas que oferecem participação nos lucros e resultados (PLR) como benefício corporativo, é importante fazer com que o colaborador entenda que sua produtividade resultará em bonificação salarial. Isso se dá a partir de metas claras e objetivas ao longo do ano.

Além disso, a empresa pode propor novos benefícios que ajudem com que o funcionário saia da precariedade atual e consiga cuidar da saúde, como auxílio psicológico, descontos em academia ou ginástica laboral, plano de saúde e seguro de vida, dentre outros. É preciso lembrar que o bem-estar financeiro está intimamente ligado à saúde.

Sua empresa já oferece empréstimo consignado?

Dentro do plano de bem-estar financeiro, uma boa alternativa é oferecer o empréstimo consignado privado aos colaboradores. Consiste em uma modalidade de concessão de crédito em que o tomador do empréstimo tem acesso a taxas de juros mais baixas.

Isso acontece porque o pagamento das parcelas é descontado diretamente da folha de pagamento e pode ser acompanhado pelo RH. Ao ter o crédito em mãos, a pessoa pode fazer o pagamento de dívidas com taxas mais altas, pode complementar sua renda mensal em momentos mais difíceis ou até conquistar um sonho antigo.

Tudo isso pode trazer uma maior tranquilidade em relação à situação financeira e resultar nos diversos benefícios que citamos aqui.

Quer entender melhor? Veja agora tudo sobre o empréstimo consignado privado e como oferecer como benefício em sua empresa.

Quer conhecer mais sobre o benefício da EmCash? Preencha o formulário e entraremos em contato com você.