Cheque especial: porque você deve evitar

cheque especial porque evitar

O cheque especial é um serviço bancário criado para ajudar as pessoas que estão com dificuldades financeiras e precisam de uma “mãozinha” no fim do mês. Porém, ao invés de ser algo positivo para os cidadãos, se tornou uma das principais causas de endividamento entre os brasileiros.

Entenda agora por que você deve fugir do cheque especial e como fazer isso. Afinal, existem outras formas mais vantajosas para suprir a falta de dinheiro.

Como funciona o cheque especial?

O cheque especial, também chamado de limite pré-aprovado ou LIS, é um serviço oferecido pelos bancos para complementar a renda do mês para que você possa continuar consumindo, ainda que não tenha mais saldo na conta.

É como se fosse um empréstimo, mas você não precisa solicitar, já que ele já vem aprovado logo que você abre sua conta-corrente. Para utilizar, basta continuar usando sua conta depois que o saldo acabar — fazer pagamentos, transferências e saques — já que o crédito estará sempre disponível para você usar a qualquer momento.

Quando você atinge o “vermelho”, o cheque especial entra automaticamente para tornar sua conta “azul” novamente. A cada dia que você usa o serviço, juros são cobrados e é aí que está o risco.

Por que é importante evitar o cheque especial?

Quando explicamos o que é cheque especial, a primeira impressão é de que é um serviço benéfico. E, de fato, pode ser se você tem um imprevisto, está apertado para pagar as contas no fim do mês e o banco oferece alguns dias sem juros, por exemplo.

Contas universitárias costumam ter esse benefício, para que o jovem possa iniciar sua vida financeira. Ao usar o limite pré-aprovado por X dias, ele não pagará juros se tiver nova entrada de dinheiro na conta até esse prazo.

O perigo, entretanto, está quando não há essa isenção dos juros. O cheque especial tem uma das maiores taxas de juros do mercado. Em janeiro de 2020, o Banco Central estipulou um limite de até 151,8% ao ano, que é bastante alto. Até esse período, os juros passavam de 300% ao ano, para se ter ideia.

Além disso, para receber o limite pré-aprovado, você não precisa passar por uma análise de crédito ou assinar um contrato detalhado, como acontece com outros empréstimos. A liberação do crédito acontece automaticamente, muitas vezes sem que você perceba.

Pensou em usar então o cartão de crédito para pagar as dívidas? Saiba porque essa também não é uma boa ideia!

Como os juros do cheque especial são calculados?

Os juros são cobrados a partir do dia que você usou o cheque especial, até que você pague o valor utilizado. As taxas cobradas são calculadas em juros compostos, o que significa que o montante final será muito maior, à medida que o tempo passa.

No primeiro dia que você usar o cheque especial, os juros incidirão apenas sobre o que você deve nesse dia. Mas, no dia seguinte, você paga os juros do dia inicial, mais os do dia anterior e assim por diante.

No fim, você pagará um valor muito mais alto do que pegou e, quanto mais tempo demorar para pagar, maior será sua dívida.

Como você pode sair dessa cilada?

Como você viu, o cheque especial pode se tornar uma bola de neve e muitas pessoas não conseguem sair da dívida, que só aumenta.

A principal maneira de evitar entrar no cheque especial é ter planejamento financeiro:

  • Saber exatamente quais são suas despesas fixas e variáveis;
  • Economizar e cortar gastos caso o salário esteja curto;
  • E, se possível, fazer uma reserva financeira com liquidez diária para que você possa usar em caso de imprevistos e emergências. Afinal, são esses os principais motivos que levam a recorrer ao cheque especial.

Veja como montar uma reserva financeira.

Negocie e reduza o limite do cheque especial

Se você já está com dívidas por ter usado o cheque especial, os bancos costumam aceitar que você faça uma negociação dessa dívida e pague de forma parcelada. Ainda assim, os juros serão mais altos que outras modalidades de crédito, mas pode ser uma saída a depender da negociação.

Se você ainda não entrou, uma dica é reduzir o limite do cheque especial ou até cancelar o serviço. Assim, você não corre o risco de cair na tentação de usar o serviço ou até utilizar sem perceber.

Troque sua dívida por uma mais barata

É importante entender que os juros do cheque especial são tão altos porque o banco não pede nenhuma garantia para usar e, com isso, seria um empréstimo arriscado para a instituição.

Outros tipos de empréstimo como o crédito com garantia (que usa seus bens como segurança de pagamento) ou o empréstimo consignado, por exemplo, têm juros muito menores e podem ser a saída para solucionar a questão do cheque especial.

Como funciona o empréstimo consignado?

O modelo de crédito consignado é aquele que você pega o valor total que precisa e o pagamento das parcelas é descontado diretamente do seu salário. Essa forma de cobrança se torna uma garantia para a instituição financeira, o que permite a ela cobrar juros mais baixos.

Uma saída para o cheque especial, portanto, é pedir o empréstimo consignado, pagar logo a dívida e ir quitando seu novo empréstimo aos poucos, com juros menores. Você substituirá uma dívida pela outra, mais barata.

Se você ainda não entrou na furada do cheque especial, mas está com dificuldades financeiras ou precisa pagar uma conta com certa urgência, também pode usar o consignado para isso. Assim, você evita pegar o cheque especial e pode ter muito mais planejamento financeiro e tranquilidade.

Entenda tudo sobre o empréstimo com desconto em folha de pagamento e tire suas dúvidas clicando no link!

Quer conhecer mais sobre o benefício da EmCash? Preencha o formulário e entraremos em contato com você.