Dívida de cartão de crédito: como se livrar?

divida do cartao de credito

Ter um cartão de crédito realmente pode ser muito prático no dia a dia. Poder fazer compras com valores mais altos, em parcelas que cabem no seu bolso; fazer compras e só pagar no mês seguinte; comprar online; ou não precisar andar com grandes quantias na carteira.

Mas, se não houver planejamento, a comodidade dá lugar à preocupação, já que a dívida de cartão de crédito é uma das mais caras, com os juros mais altos. Saiba que o cartão de crédito é o principal motivo de inadimplência entre os brasileiros?

Se esse é o seu caso, não se preocupe. Vamos te mostrar passo a passo como sair das dívidas de cartão de crédito.

Não paguei o cartão de crédito, e agora?

Adiar o pagamento da fatura do cartão de crédito pode ser uma verdadeira armadilha. Se você deixa de pagar ou paga menos que o valor integral e deixa o restante para o futuro, você utiliza o chamado rotativo do cartão de crédito.

Este é um tipo de crédito, similar a um empréstimo, que o banco dá por 30 dias a quem não conseguiu pagar a fatura total. E, a partir daí, você passa a pagar juros altíssimos sobre o valor restante.

Por exemplo, se sua fatura foi de R$ 500 e você só pagou o mínimo de 15% (R$ 75), dos R$ 425 que restaram começa-se a cobrar o rotativo. Atualmente, ele tem taxas de mais de 310% ao ano.

Após os 30 dias, se você não conseguiu pagar o valor total, a operadora de cartão de crédito é obrigada a te oferecer outra linha de crédito. Esta poderá ser parcelada e deve ter taxas mais vantajosas que o crédito rotativo. De toda forma, ainda serão muito altas e, quanto mais tempo passar, maior será a bola de neve de dívidas.

Dívida de cartão de crédito caduca?

Outra dúvida comum dos consumidores é se a dívida do cartão caduca e, com isso, poderiam deixar de pagá-la até que ela não mais existisse.

Qualquer dívida, seja ela de cartão de crédito ou não, prescreve após 5 anos. Mas isso só significa que depois desse período seu nome deixará de ficar negativado, ou seja, seu CPF será removido da lista de inadimplentes do SPC, Serasa ou outros serviços.

Mesmo prescrita, a dívida continuará existindo e os juros sendo cobrados.

Como sair das dívidas do cartão de crédito?

Se você entrou nesta avalanche, é importante tomar já uma atitude para reduzir a incidência de juros sobre sua dívida de cartão de crédito. Veja como fazer:

Renegocie as dívidas atuais e pague assim que possível

Faça um levantamento agora mesmo de qual é o valor da dívida. Ter uma noção da situação real te ajudará a tomar as demais providências.

Com as dívidas em mãos, entre em contato com a operadora do seu cartão e peça para fazer uma negociação. Tenha em mente que é interesse também das empresas que você quite suas dívidas, então é provável que você vá conseguir boas condições.

A ideia aqui é parcelar o valor devido e tentar reduzir as taxas de juros para facilitar o pagamento.

Esta negociação é chamada de “extrajudicial”, ou seja, de forma amigável. Você resolve diretamente com a empresa, sem que o caso precise ser levado à justiça.

Troque a dívida do cartão por uma mais barata

Pode parecer estranho, em um primeiro momento, que substituir uma dívida por outra seja uma boa solução. Mas, acredite.

Se durante a renegociação as taxas ainda continuarem altas, as chances de você conseguir quitar com o tempo são reduzidas. Com o cartão de crédito são cobrados juros sobre juros e se o tempo passar demais, a situação permanece difícil.

Fazer um empréstimo a juros menores pode ser uma boa solução. Você utiliza o valor recebido para quitar logo a dívida do cartão de crédito e vai pagando o empréstimo aos poucos, com juros melhores.

Se você trabalhar em uma empresa privada, uma alternativa ainda melhor pode ser o empréstimo consignado privado. Como o pagamento é atrelado à sua folha salarial, o risco de você deixar de pagar é mínimo. Por causa dessa garantia, é possível oferecer juros menores.

Tenha um planejamento financeiro pessoal

Com as dicas acima, você conseguirá quitar as dívidas do cartão de crédito. Mas, como fazer para não cair novamente nessa situação?

Procure fazer um planejamento financeiro para controlar suas contas. Ao descrever os valores que você recebe com salário e outras receitas e reduzir deles as despesas fixas (como aluguel, internet, água etc), você saberá quanto pode gastar com despesas variáveis ao longo do mês – incluindo, aí, o cartão de crédito.

Pague sempre a fatura total

Não caia na cilada de pagar apenas o valor mínimo da fatura. Afinal, você já aprendeu aqui sobre o problema dos juros e do crédito rotativo.

Se acontecer de você não conseguir pagar o valor integral, a dica é ligar para o banco e pedir o parcelamento da fatura. Esse método costuma ter taxas menores que o empréstimo do rotativo.

Diminua os gastos com cartão

Também é importante aprender a economizar e reduzir os gastos no cartão. Como falamos, essa forma de pagamento é muito prática e, por isso, as pessoas acabam perdendo o controle financeiro.

Compre apenas quando você tiver certeza, a partir do seu planejamento, que será possível arcar com as prestações.

Com a internet, também ficou mais fácil se perder com as compras no cartão. Isso porque os aplicativos e a assinaturas (como Netflix, iFood, Uber, jogos) ficam automaticamente atrelados ao cartão. Ao somar esses gastos no fim do mês, você percebe como são significativos.

Reduza o limite do cartão

Ter um limite muito alto também dá a ilusão de que você pode gastar mais. Porém, a tendência quando temos limite o suficiente para comprar produtos mais caros – como uma TV, por exemplo – é parcelar.

Com isso, criam-se novas dívidas e a situação tende a piorar.

Esperamos que este conteúdo tenha sido útil para você e que consiga solucionar suas pendências para ter uma vida financeira mais saudável. Compartilhe o artigo com quem você acredita precisar saber dessas dicas!

Você também pode gostar:

Quer conhecer mais sobre o benefício da EmCash? Preencha o formulário e entraremos em contato com você.