Situação financeira dos brasileiros está crítica. Como a empresa pode ajudar os funcionários?

situação financeira dos brasileiros

Os impactos da pandemia da Covid-19 ultrapassam a questão da saúde. Com números assustadores em relação à quantidade de mortes e contaminações, o coronavírus afetou outra esfera da vida: a situação financeira dos brasileiros.

A crise política junto com o caos econômico de 2020 — alta no desemprego, na inflação e a necessidade de fechamento de setores da economia — fizeram com que cerca de 41% da população tivesse sua vida financeira extremamente abalada. É o que mostrou a pesquisa “Saúde Financeira do Brasileiro”, realizada pela fintech de previdência privada Onze.

Mas a boa notícia é que as empresas podem atuar para contribuir com a saúde financeira dos seus funcionários. Se cada instituição se responsabilizar e tiver um impacto positivo sobre uma parcela da sociedade, é possível reverter esta situação, ao menos em parte.

Veja agora como o setor de RH e a empresa podem ser protagonistas para ajudar os colaboradores.

O que a pesquisa diz sobre a situação financeira dos brasileiros?

O estudo foi feito com quase 5 mil pessoas entre abril de 2020 e abril de 2021 e publicado pelo Estadão e mostrou que 41% dos entrevistados viram suas finanças se deteriorarem nesse período.

Do total de pessoas, 39% tiveram sua renda mensal reduzida por causa de demissões, em um cenário em que mais de 14,8 milhões de pessoas estão desempregadas.

Em contrapartida às reduções na renda, a situação financeira dos brasileiros se agravou com o aumento nas despesas, sobretudo com alimentação e transporte. 46% dos participantes da pesquisa relataram crescimento nos gastos de casa.

Na tentativa de pagar as contas e garantir o básico em casa, 24% parcelaram seus débitos e 26% contraíram dívidas e foram, por isso, negativados nos serviços de proteção ao crédito como o Serasa e o SPC. Com isso, passaram a ter ainda mais dificuldades financeiras, já que a negativação gera diversos impedimentos no CPF.

Ainda hoje, 22% ainda não conseguiram pagar as suas dívidas e apenas 6% puderam retirar o seu nome da lista de negativados.

Quais os impactos do endividamento na vida do trabalhador?

E é claro que toda essa situação afetaria a população psicologicamente. De acordo com a mesma pesquisa, 81% dos entrevistados disseram estar mais estressados e sofreram impactos na saúde mental no último ano. 

Como consequência, esta condição abala, ainda, a vida profissional. Afinal, o desempenho no trabalho está diretamente ligado à sua motivação e felicidade. Estar com problemas financeiros:

  • Atrapalha a sua concentração;
  • Mantém a mente ocupada com o problema;
  • Afeta a qualidade do sono, o que faz com que o funcionário esteja cansado no dia seguinte;
  • Aumenta o absenteísmo, ou seja, as faltas ao trabalho e atrasos;
  • Traz irritação e prejuízos ao relacionamento entre colegas;
  • Reduz a produtividade da equipe.

Como a empresa pode contribuir?

Porém, como falamos, a empresa pode ser a protagonista para levar mais bem-estar financeiro aos funcionários. Como você pôde perceber, colocar-se como corresponsável nesse objetivo pode ser positivo não só para o funcionário, como para a própria empresa. Todo mundo cresce junto.

Colaboradores mais felizes e com estabilidade financeira produzem mais e melhor, o que impacta diretamente na lucratividade e na satisfação dos clientes.

Mas, então, como sua empresa pode atuar?

Revise a remuneração da equipe

A gestão de pessoas deve estar sempre atenta à remuneração praticada no mercado e se o funcionário está recebendo um retorno condizente com a qualidade na entrega do seu trabalho.

Com o aumento dos preços, dos juros e da inflação, o mesmo salário recebido há alguns anos não oferece o mesmo poder de compra que hoje e pode ser interessante, portanto, fazer essa avaliação.

Avalie os benefícios corporativos

Mas muito mais que bons salários, bem-estar financeiro tem a ver com tranquilidade para pagar as contas, conseguir investir parte do dinheiro recebido, conquistar sonhos e metas de curto, médio e longo prazo.

E por meio dos benefícios o RH consegue proporcionar isso aos colaboradores. Procure oferecer:

  • Educação financeira: para gerar mais conhecimento em relação às contas, dicas de como economizar, informações sobre investimentos e previdência. Isso pode ser feito por meio de bolsas para cursos, geração de conteúdo informativo, consultorias por profissionais especializados, palestras, workshops e muitas outras formas;
  • Plano de saúde e previdência: este não é necessariamente um benefício financeiro, mas é essencial para trazer tranquilidade ao funcionário. A empresa arca com serviços fundamentais para a saúde do colaborador e permite que ele economize com esses gastos.
  • Bolsas e descontos: possibilitar que o funcionário tenha acesso a cursos, academia, lazer e outros serviços é interessante para dar mais motivação e bem-estar de modo geral.

Empréstimo consignado como benefício corporativo

Por fim, um excelente tipo de benefício corporativo financeiro é o empréstimo consignado privado. Muitas pessoas acreditam que o crédito consignado só pode ser oferecido por empresas públicas a servidores, aposentados ou pensionistas.

Porém, o empréstimo privado é uma modalidade autorizada pelo Banco Central, no formato de empréstimo entre pessoas.

A empresa se torna parceira de uma fintech como a EmCash, que faz a ponte entre investidores e as pessoas físicas que gostariam de tomar um empréstimo. Basta cadastrar os seus colaboradores na plataforma e eles têm acesso ao crédito a juros muito menores que teriam em bancos tradicionais.

Isso abre portas para que eles paguem suas dívidas e alcancem metas de vida que tinham dificuldade apenas com o salário. Isso resulta em mais tranquilidade financeira, que leva ao aumento na produtividade e um melhor desempenho para a sua empresa!

Quer entender melhor como funciona o empréstimo consignado como benefício corporativo? Acesse o link!

Quer conhecer mais sobre o benefício financeiro da EmCash? Preencha o formulário e entraremos em contato com você.