B3: O que é e como funciona a Bolsa de Valores brasileira?

Se você lê as notícias financeiras por aí e já se deparou com a sigla “B3”, pode ter ficado curioso sobre o que significa.

Para responder rapidamente, B3 é a Bolsa de Valores do Brasil, uma das dez maiores do mundo e a maior da América Latina, que surgiu após a fusão entre:

  • BM&F (Bolsa de Mercadorias e Futuros de São Paulo)
  • Bovespa (Bolsa de Valores de São Paulo)
  • Cetip (Central de Custódia e de Liquidação Financeira de Títulos)

Você provavelmente já ouviu falar nessas três empresas, mas não vem daí o nome B3 que, na realidade, se refere à Brasil, Bolsa e Balcão.

Neste texto, você vai entender como funciona a B3, para que ela serve, como investir na bolsa e mais!

O que é B3?

A B3 é a Bolsa de Valores oficial brasileira, tem sede em São Paulo e atua no ambiente de bolsa e de balcão, concentrando boa parte das operações do mercado financeiro do país.

Enquanto a bolsa de valores é a instituição que reúne a negociação de ações das grandes empresas, o mercado de balcão concentra as negociações que não estão registradas no sistema da bolsa, dentre elas ações, debêntures e títulos mobiliários, fundos de investimento, fundos de índice e opções de compra e venda.

Na B3, estima-se que haja uma movimentação de trilhões de reais em circulação de ações. Isso porque ela funciona como um mercado de negociação de ativos, ou seja, o investidor pode comprar e vender aplicações para ter, em troca, seu retorno financeiro.

Como funciona a B3?

Basicamente, a B3 funciona como um grande mercado de ativos financeiros, onde você pode vender ou comprar ações, títulos públicos e privados.

Cada país tem a sua própria bolsa, você deve ser familiarizado com a Bolsa de Nova York em Wall Street, por exemplo. Assim, o mercado de capitais pode ser mais igualitário para os investidores de diferentes países e com regras e regulações mais padronizadas e transparentes.

Para investir, é preciso ter uma corretora ou fintech autorizada para intermediar a compra dos ativos e as operações.

Horários para investimento na bolsa

A bolsa também tem um horário preestabelecido para as negociações, que acontece entre 10h e 18h, em todos os dias úteis.

Antes de abrir o pregão – como é chamado o momento da compra e venda de ativos -, às 9h45, a B3 faz a pré-abertura, que é um leilão para que os investidores possam registrar suas ofertas. Até as 10h, não é possível efetivar a compra e venda e nem cancelar a oferta.

Leia também: Como começar a investir?

Financiamento e crédito

Mas além das operações financeiras de investimentos em ações e outros ativos, a B3 também realiza os registros, depósitos, liquidação e processos de financiamento e aprovação de crédito.

A EmCash, por exemplo, uma Sociedade de Empréstimo entre Pessoas (SEP) tem seu registro e liquidação de operações na B3.

Quais são as empresas listadas na B3?

As empresas que querem levantar recursos financeiros podem abrir seu capital, o que significa permitir às pessoas comprarem ações e se tornarem sócias minoritárias da empresa.

Para que isso aconteça, elas devem fazer um processo (que hoje é totalmente online) chamado IPO, Initial Public Offering ou Oferta Pública Inicial. Depois disso, a B3 realiza um processo de aceitação bastante rigoroso para garantir a segurança aos investidores e ao mercado.

Esse trâmite costuma ser bastante custoso, com várias análises e auditorias e, por isso, geralmente são as empresas com melhor situação financeira que se mantêm listadas na B3.

Atualmente, são mais de 350 empresas listadas, de vários setores da economia, como industrial, financeiro, combustíveis, telecomunicações, tecnologia, saúde, materiais básicos — como mineração, siderurgia, papel, madeira — e outros. Entre elas, podemos citar Petrobrás, Natura, Embraer, Ambev, Bradesco, a própria B3 (com o nome B3SA3) e outras.

Como investir na bolsa de valores?

Se você tem interesse em investir nas ações da Bolsa de Valores, deve escolher uma corretora ou fintech regulamentada pela B3.

O processo é totalmente online e seguro. Aqui no país, a B3 passa pela supervisão da Comissão de Valores Mobiliários (CVM), que é relacionada ao Ministério da Economia. Assim, as operações ficam mais transparentes e seguras.

Além disso, não existe um valor mínimo para começar a investir na bolsa. Tudo vai depender das cotações daquele dia e das regras da negociação. Normalmente, as ações são vendidas em lotes com 100. Dessa forma, se a cotação estiver em R$ 20, será preciso investir R$ 2000 naquela ação.

Há ainda as taxas que são, geralmente, cobradas para cada operação. Antes de investir, consulte sobre a incidência do Imposto de Renda e as seguintes possíveis taxas:

  • Corretagem
  • Administração
  • Custódia
  • Performance
  • Emolumentos.

Quais os riscos de investir na B3?

Embora as operações sejam seguras, investir em ações e investimentos de renda variável sempre envolve riscos, já que a rentabilidade oscila de acordo com a realidade do mercado.

Existem os riscos de:

  • Mercado
  • Empresariais
  • Juros
  • Da Corretora
  • Cambiais
  • Riscos de liquidez e outros.

Entenda todos os riscos de um investimento.

No caso de uma ação, por exemplo, você está investindo em uma empresa que pode dar prejuízo ou até quebrar. Existem influências internas, que fazem parte da operação da empresa, mas também as externas, macroeconômicas, que são as influências políticas, governamentais, bancárias, sanitárias (como foi o caso da pandemia) e outras.

Por isso, antes de começar a investir em renda variável, é interessante construir uma reserva financeira (ou reserva de emergência), com títulos de renda fixa, que são menos arriscados.

Quer saber como criar sua reserva financeira? Acesse o link e saiba mais!

Quer conhecer mais sobre o benefício da EmCash? Preencha o formulário e entraremos em contato com você.